Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Acesso à informação
Atendimento Presencial
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Cadastro de Cursos
Certidões
Comissões Técnicas
Competências e Estrutura Organizacional
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
E-Prevenção
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Logística reversa - Convênio
Noticiário
Ouvidoria
PDQ
Peritos Químicos
Planos de Saúde
Prêmios
Prestação de Contas
Publicações
QuímicaViva
Selo de Qualidade
Simplifique
Sorteios
Termos de privacidade
Transparência Pública
 
Notícia - Conselho Regional de Química - IV Região

Notícia 

 


Decisão do governo ameaça milhares de empregos no setor químico
 

 

Medida contraria Congresso, diz Ciro Marino

A indústria química brasileira foi surpreendida pela Medida Provisória (MP) 1095/21, editada nas últimas horas do dia 31/12 para suprimir imediatamente o Regime Especial da Indústria Química (Reiq), que reduz as alíquotas de PIS e Cofins incidentes sobre as matérias-primas químicas e petroquímicas. A MP foi assinada Marcelo Pacheco dos Guaranys, secretário-executivo do Ministério da Economia.

Entre as justificativas dadas para justificar a extinção do Reiq, Guaranys observou que "esse benefício fiscal está sendo reduzido gradativamente, devendo ficar totalmente extinto em 2025, porém, já perdurou tempo suficiente para a efetivação de seus objetivos de fomento à atividade econômica contemplada. Nesse contexto, considerando ainda que o Brasil enfrenta ambiente fiscal adverso, mostra-se conveniente e urgente a revogação imediata do referido
regime".

A medida afronta decisão tomada pelo Congresso Nacional, que, em julho de 2021, votou pela extinção gradual do Reiq até 2025, criando um ambiente de insegurança jurídica, disse Ciro Marino, presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiqim). Citando estudos feitos pela Fundação Getúlio Vargas, Marino afirmou que o fim abrupto do Reiq resultará numa perda de arrecadação do setor na ordem de R$ 3,2 bilhões, colocará em risco a manutenção de 85 ml empregos, poderá causar uma derrubada no Produto Interno Bruto ao redor e R$ R$ 5,5 bilhões, além de inviabilizar unidades industriais no País e afetar diretamente em torno de 20 indústrias químicas.

Em nota a Abiquim alertou para o grave erro que está sendo cometido, que terá impactos em todos os setores produtivos consumidores da indústria química. De acordo com a entidade, é fundamental que o Congresso derrube essa MP assim que retornar do recesso.

 

Com informações da Abiquim

Notícias relacionadas:

 


Publicado em 04/01/2022

 


Voltar para a relação de notícias

 

 

Compartilhe:
Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região