Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Acesso à informação
Atendimento Presencial
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Cadastro de Cursos
Certidões
Comissões Técnicas
Competências e Estrutura Organizacional
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
E-Prevenção
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Logística reversa - Convênio
Noticiário
Ouvidoria
PDQ
Peritos Químicos
Planos de Saúde
Prêmios
Prestação de Contas
Publicações
QuímicaViva
Selo de Qualidade
Simplifique
Sorteios
Termos de privacidade
Transparência Pública
 
Notícia - Conselho Regional de Química - IV Região

Notícia 

 


Alergias e intolerâncias em pauta no III Simpósio de Alimentos


Evento da Comissão de Alimentos do CRQ-IV reuniu palestrantes para debater alergias e intolerâncias alimentares



Pelo terceiro ano consecutivo, a Comissão Técnica de Alimentos e Bebidas do CRQ-IV promoveu o Simpósio de Alimentos. Em 2018, alergias e intolerâncias alimentares foram os principais temas do evento, que teve o apoio do Sindicato dos Químicos, Químicos Industriais e Engenheiros Químicos do Estado de São Paulo (Sinquisp).

A programação incluiu um ciclo de palestras que discutiu assuntos relacionados a esses males, considerando o aumento da incidência de casos na população e também ações da sociedade a respeito da promulgação de leis que protejam esse público, ampliando as informações presentes nos rótulos dos alimentos.

Mariele Lopes é pesquisadora da Asbai

A primeira apresentação foi conduzida pela pesquisadora Mariele Morandin Lopes, representando a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai). Ao definir uma alergia alimentar como uma doença decorrente de uma resposta imunológica anômala, que pode ocorrer por meio de ingestão ou contato com determinados alimentos (tais como leite de vaca, ovo de galinha e crustáceos), Mariele tratou das classificações dos tipos de alergias existentes, além dos exames de detecção utilizados. A pesquisadora também diferenciou estas das intolerâncias alimentares, que são reações adversas sem gravidade e não envolvem o sistema imunológico.

Bactérias láticas como ferramentas para a produção de alimentos voltados para pessoas com intolerância ou alergia foram o foco da palestra de Marcela Cavalcanti de Albuquerque, da USP, que também ressaltou a importância da rotulagem de alimentos para sinalizar a existência de lactose na composição de produtos a base de leite.

Bruno Mendes, da Merieux NutriSciences

Concluindo o ciclo do período da manhã, Bruno Mendes, da empresa Merieux NutriSciences, abordou os principais desafios enfrentados pela indústria para atender aos alérgicos e intolerantes alimentares e ações implementadas, tais como a adoção de um Programa de Controle de Alergênicos (PCAL) integrado aos processos de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC) e Boas Práticas de Fabricação (BPF). 

O bloco foi encerrado com uma rodada de perguntas e respostas, na qual os palestrantes responderam a dúvidas apresentadas pelo público.

Desafios - A Cientista dos Alimentos Pâmela Rossi, da Alimentar Consultoria, iniciou o segundo ciclo de palestras do simpósio. Para ela, que integra a Comissão de Alimentos do CRQ-IV, "o principal desafio da indústria de alimentos é criar novas versões de produtos já existentes no mercado sem descaracterizá-los, visando atender ao público que tem alergia ou intolerância". Pâmela também apresentou alternativas para atender a demandas do público formado por, entre outros, intolerantes à lactose e ao glúten, além de alérgicos a trigo, leite, ovo e soja. O uso de ingredientes (como farinha de arroz e óleo de milho) e aditivos (lecitina de girassol, derivados de coco etc.) foram algumas das tendências indicadas. 

Fernanda Hack, do Põe no Rótulo

Em seguida, a consultora Fátima D'Elia falou sobre a legislação aplicada no Brasil para a rotulagem de alimentos que causam alergias, com destaque para a RDC nº 26/2015, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e também as discussões em andamento sobre uma futura regulamentação que vigoraria no âmbito do Mercosul.

A advogada Fernanda Mainier Hack, uma das coordenadoras do Movimento Põe no Rótulo, conduziu a última apresentação do evento. A iniciativa foi lançada em 2014 com o objetivo de reivindicar a rotulagem de alergênicos. O movimento já realizou diversas ações, como palestras, participações em eventos educativos, publicação de artigos científicos em revistas especializadas, produção de materiais informativos e contribuição para o Caderno de Referência sobre Alimentação Escolar para Estudantes com Necessidades Alimentares Especiais, publicado pelo Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação (FNDE) em março de 2017.

Larissa participou do evento pela terceira vez
O evento foi encerrado com uma mesa de debates composta pelos palestrantes do segundo bloco.

Aprimoramento - Com interesse em obter mais informações sobre alergias alimentares, a estudante Larissa Venina dos Santos Silva, de Campinas, integrou pela terceira vez o público do simpósio promovido pelo Conselho. Formada como Técnica em Alimentos pelo Senai, atualmente cursa o 4º ano de Engenharia de Alimentos na Unimep de Santa Bárbara d'Oeste. "Gosto de me manter atualizada, até mesmo para ajudar pessoas que não são da área a entender questões como as que estão ligadas à rotulagem", exemplifica.

As apresentações dos palestrantes podem ser baixadas na seção Downloads.   

Confira a galeria de fotos na página do CRQ-IV no Facebook. Outras imagens e vídeos estão disponíveis no Instagram do Conselho.




Publicado em 03/10/2018
Atualizado em 05/10/2018


Voltar para a relação de notícias




Compartilhe:
Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região