Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Acesso à informação
Atendimento Presencial
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Cadastro de Cursos
Certidões
Comissões Técnicas
Competências e Estrutura Organizacional
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
E-Prevenção
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Logística reversa - Convênio
Noticiário
Ouvidoria
PDQ
Peritos Químicos
Planos de Saúde
Prêmios
Prestação de Contas
Publicações
QuímicaViva
Selo de Qualidade
Simplifique
Sorteios
Termos de privacidade
Transparência Pública
 
Cosméticos "sem química" - Conselho Regional de Química - IV Região

Cosméticos "sem química" 

 





 

Tem sido comum nos depararmos com o termo “sem química” em campanhas publicitárias, notícias e até mesmo em rótulos de embalagens de alguns tipos de produtos. Uma rápida pesquisa na Internet com este termo retorna diversas propagandas de cosméticos trazendo como apelo a mensagem de que tais produtos não causam danos à saúde.

 

No contexto dos cosméticos, esta pesquisa nos mostrou que o termo “sem química” tem sido muito utilizado quando relacionado a produtos destinados aos cuidados dos cabelos (hair care). Assim, frases como “alisamento sem química”, “progressiva sem química” e “como alisar os cabelos sem química” são encontradas às centenas. Propagandas como estas podem nos remeter à falsa impressão de que química é algo ruim, inseguro e agressivo e que, usando determinado produto, o consumidor estará livre da exposição a esse malefício, o que não é verdade.

 

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), cosméticos “são preparações constituídas por substâncias naturais ou sintéticas, de uso externo nas diversas partes do corpo humano, pele, sistema capilar...”. Sendo assim, todo cosmético possui substâncias que, independentemente de serem naturais ou não, possuem natureza química.

 

E não é por se tratar de uma substância natural que, necessariamente, não seja nociva à saúde. Por exemplo, óleos essenciais (obtidos de fontes naturais) possuem uma variedade de benefícios cientificamente comprovados para os cuidados com a pele e couro cabeludo do indivíduo. Contudo, devem ser utilizados com certo cuidado, pois apresentam risco de toxicidade se aplicados de maneira equivocada. Clique aqui para assistir a live sobre óleos essenciais realizada pela Comissão Técnica de Cosméticos do CRQ-IV no dia 17 de março de 2022.

 

Um exemplo simples e comum de substância química é a água – uma mistura dos elementos químicos hidrogênio e oxigênio –, que faz parte da composição de algumas formulações cosméticas. Ainda existem outras substâncias químicas que compõem produtos desta categoria como, por exemplo, óleos vegetais, manteigas, polímeros, silicones, vitaminas, aminoácidos etc.

 

Nossa fonte e mais poderosa fábrica química é a natureza, que produz substâncias de alta pureza as quais as indústrias não conseguem “copiar”. Sendo assim, não é verdadeiro dizer que um cosmético é livre de química apenas porque seus ingredientes são obtidos exclusivamente da natureza. É preciso ter cautela para utilizar expressões como esta, principalmente em rótulos e embalagens, pois além de inautênticas, induzem as pessoas a replicarem um vocabulário que não condiz com a realidade. Portanto, não existem produtos cosméticos “sem química”... Na realidade, não existiria vida sem a química!
 

 


 

Cibele de Castro Lima
Engenheira Química formada pela Faculdade de
Engenharia Química de Lorena (USP) e integrante da
Comissão Técnica de Cosméticos do CRQ-IV.

Publicado em 13/05/2022
 
 
Compartilhe:
Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região