Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Acesso à informação
Atendimento Presencial
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Cadastro de Cursos
Certidões
Comissões Técnicas
Competências e Estrutura Organizacional
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
E-Prevenção
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Logística reversa - Convênio
Noticiário
Ouvidoria
PDQ
Peritos Químicos
Planos de Saúde
Prêmios
Prestação de Contas
Publicações
QuímicaViva
Selo de Qualidade
Simplifique
Sorteios
Termos de privacidade
Transparência Pública
 
Pilhas e baterias - Conselho Regional de Química - IV Região

Pilhas e baterias 

 


A chamada pilha seca é a mais comum. Seus eletrodos são constituídos por um recipiente de zinco e uma barra de carvão. Deles saem cargas positivas e negativas conduzidas por uma solução aquosa de cloreto de amônio e cloreto de zinco em amido misturada com dióxido de manganês. Justamente porque consegue conduzir a eletricidade, essa solução desempenha a função de eletrólito.

A pilha ou bateria secundária mais importante é o acumulador de chumbo. Seu eletrodo positivo (cátodo) é de peróxido de chumbo e o eletrodo negativo (ânodo) é de chumbo. Ambos são mergulhados em ácido sulfúrico diluído. Quando as reações ocorrem nos eletrodos, há geração de energia elétrica.

A bateria usada em automóveis, por exemplo, é constituída por placas de chumbo, na forma de grade perfurada. O peróxido de chumbo constitui a placa positiva e o chumbo esponjoso a placa negativa, quando a bateria está carregada. As chapas são isoladas por separadores que podem ser de vidro. A bateria fica cheia como ácido sulfúrico.

 





Compartilhe:
Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região