Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Certidões
Comissões Técnicas
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Formulários
Game
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Noticiário
Perfil
Planos de Saúde
Prêmios
Publicações
QuímicaViva
Regimento Interno
Selo de Qualidade
Sorteios
Transparência Pública
Siga-nos no Twitter   Conheça nosso Facebook   Nosso canal YouTube
 



Matéria Anterior   Próxima Matéria

Gripe A prejudica oficina pedagógica


A terceira edição da “Oficina pedagógica” foi prejudica este ano pelas mudanças no calendário escolar e nos horários das aulas provocadas pela epidemia da gripe A. Por isso, apenas quatro professoras de escolas da Capital compareceram ao treinamento organizado pela Comissão de Divulgação do CRQ-IV e que teve por tema “Aplicação da nova proposta curricular de química no ensino médio”. A oficina é voltada para professores do ensino médio da rede pública, inclusive aos que não têm registro no Conselho. Os encontros buscam estimular a discussão de métodos que dinamizem as aulas, despertando o interesse dos alunos pela ciência.

O programa de trabalho foi elaborado pelos professores Silvio Miranda Prada e Luciana Lellis (a quem também coube dar as aulas), ambos do Centro Universitário Fieo, de Osasco. Os encontros ocorreram entre setembro e novembro, na sede do CRQ-IV.

“Este episódio [a gripe A] dificultou a vinda dos professores já que a grade anual das aulas foi totalmente alterada. Os professores tiveram que utilizar o período da tarde – horário para o qual a oficina pedagógica foi programada – e até mesmo os sábados para conseguir passar o conteúdo planejado para as turmas”, explicou a professora Luciana Lellis.

Ligia Aparecida dos Santos, professora da Escola Estadual Augusto Ribeiro de Carvalho, bairro Freguesia do Ó, participou da oficina pelo segundo ano consecutivo e também apontou a questão da gripe como responsável pelo reduzido número de inscritos. Segundo disse, colegas seus lecionam em outros períodos e por causa do remanejamento ficaram sem agenda.

Participante desde a primeira edição, a professora Elisa de Oliveira Ciszevski, da Escola Estadual Alberto Cardoso de Melo Neto, no Tucuruvi, também atribuiu a baixa adesão à gripe, mas observou que a participação de encontros do gênero merece esforços adicionais. “Alguns professores se empenham pouco quando o quesito é reciclagem e cursos de aperfeiçoamento. Eu sempre procuro me atualizar e trocar experiências com meus colegas para melhorar a qualidade do ensino que ofereço aos meus alunos”, disse Elisa.

Maria Cândida Varela Miranda, da Escola Afrânio Peixoto, Vila Guilherme, disse que gostou muito de participar da oficina, pois a nova proposta curricular para a área química vem gerando dúvidas. “Participar das aulas foi uma importante troca de experiências que me ajudou a assimilar as novidades e solucionar problemas que apareceram”, afirmou.

A professora Leda Maria Amado dos Santos, da Escola Estadual Alfredo Inácio Trindade, Vila Gustavo, disse que aproveitou muito o evento e que a interação entre o grupo foi total. “Esse tipo de curso ajuda bastante no desenvolvimento pessoal, refletindo nas aulas e, consequentemente, beneficiando os alunos”, disse.

A Comissão de Divulgação deverá promover novas oficinas pedagógicas em 2010. As datas serão definidas nos próximos meses e divulgadas no Informativo CRQ-IV.





Relação de Matérias                                                                 Edições Anteriores

 

Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região