Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
AIQ-2011
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Certidões
Código de Ética
Comissões Técnicas
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
Eventos
Espaços para Eventos
Estatísticas
Fale Conosco
Fiscalização
Formulários
Game
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Minicursos
Noticiário
PDQ
Perfil
Plantões de Atendimento
Prêmios
Publicações
QuímicaViva
Regimento Interno
Selo de Qualidade
Sorteios
Transparência Pública
Siga-nos no Twitter   Conheça nosso Facebook   Nosso canal YouTube
 



Matéria Anterior   Próxima Matéria

Artigo técnico - Inovações tecnológicas cosméticas
Autor: Linda Cristina de Oliveira


A procura por novas matérias-primas e tecnologias para o desenvolvimento de formulações cosméticas cada vez mais eficazes e compatíveis aos diferentes tipos de pele e de produtos tem sido uma constante por parte dos pesquisadores e formuladores da indústria de cosméticos.

Atualmente, a maior parte das matérias primas utilizadas nas formulações cosméticas é originada de produtos naturais modificados, ou melhor, reestruturados que, embora obtidos na natureza, foram modificados estruturalmente para apresentar propriedades mais atenuantes, menos agressivas e mais eficazes.

As novas matérias-primas são chamadas de multifuncionais, pois possuem propriedades diversas para atender aos conceitos pré-estabelecidos dos produtos, tais como hidratação, absorção, umectância, alto índice de proteção, resistência à água, efeito sensorial e etc.

Por isso, antes de tudo, cabe ao formulador pesquisar muito para apurar a interação dessas matérias primas na pele. Seu conhecimento, além do básico sobre estabilidade e propriedades organolépticas, deve se basear também, na segurança e eficácia dos novos ingredientes. A seguir, estão relacionadas algumas inovações na área.

I) Principais Características das Novas Tecnologias em Matérias Primas
Sob o ponto de vista competitivo do mercado cosmético, as áreas de pesquisa e desenvolvimento tecnológico assumiram importância estratégica no contexto global, concebendo matérias primas e produtos através das seguintes características:

a) Insumos/Produtos Globais:
Aqueles desenvolvidos para comercialização num mercado definido em escala mundial, integrando processos produtivos distribuídos geograficamente nas mais diferentes regiões do globo, como, por exemplo, os de apelo contra a radiação solar.

b) Insumos/Produtos Compactos:
Representam uma tendência generalizada à redução de tamanho e peso mediante a agregação de mais tecnologia na miniaturização e a utilização de matérias primas com partículas reduzidas, como, por exemplo, os nanocosméticos (subpartículas de milimétricas dimensões) e os microencapsulados com ativos diversos.

c) Insumos/Produtos Inteligentes e Econômicos:
Aqueles que apresentam menos gasto de energia motriz e menos força bruta de trabalho humano, ao mesmo tempo em que embutem mais tecnologia e exigem mais trabalho inteligente e mais esforço na simplificação de processos. Exemplos: bases semiprontas, complexos de ativos multifuncionais, lipossomas de fosfolipídios ativados, etc.

II) Inovações Tecnológicas em Matérias Primas
As novas tecnologias para o segmento cosmético são desenvolvidas tanto pelas empresas fabricantes, em seus centros de pesquisa, quanto por empresas fornecedoras de matérias-primas e se revelam através de algumas tendências como as descritas abaixo:

Neurocosméticos - Os neurocosméticos são constituídos por substâncias que aceleram a produção de precursores imediatos de endorfinas, as mesmas que seriam produzidas por um estímulo natural do prazer. Foram sintetizadas duas substâncias revolucionárias: as fitoendorfinas, que ativariam os neurônios responsáveis pelo aspecto saudável e viçoso da pele; e as neuroprotetoras, feitas com neuropeptídeos, substâncias que agem como mensageiros entre o cérebro e a pele - e, ao mandarem mensagens de bem-estar, seriam capazes de deixá-la com aparência revitalizada. São exemplos de neurocosméticos: polifenóis (cacau,chá verde,uva,acerola, abacaxi,café); DMAE (dimetilaminoetanol); retinol; peptídeos (hibiscus,trigo,aveia); óleo essencial de lavanda e rosa do Marrocos. É importante salientar, contudo, que os estudos envolvendo neurocosméticos são recentes, não havendo comprovação científica oficial de que eles realmente geram as sensações de bem-estar citadas.

Ingredientes Orgânicos - A "cosmetologia orgânica" começa a despontar no mercado mundial. A princípio, são considerados orgânicos os produtos cujas formulações usam matérias-primas derivadas de plantas, como gorduras vegetais, ceras, extratos vegetais e óleos essenciais cultivados e processados organicamente. As matérias primas obtidas de plantas cultivadas e controladas biologicamente, no caso de extrativismo, devem obedecer às normas vigentes, preservar o meio ambiente e possuir certificação (cuidados com o solo,sem uso de fertilizantes químicos e agrotóxicos). Alguns ingredientes já em utilização e com certificado orgânico são derivados de oliva,cera de abelha, cupuaçu, squalene (produto orgânico), óleos vegetais de cenoura e pepino.

Bases Semiprontas/Blends - Muitas fabricantes utilizam bases semiprontas por possuírem uma composição apropriada de vários ingredientes já estabilizados e com maior compatibilidade de interagir em sinergia uns com os outros. Estas bases conseguem unir em um único produto as matérias primas necessárias,por exemplo, para conferir espalhabilidade, emoliência, necessitando somente incorporar um ativo à formulação, facilitando o processo industrial.
Entre elas, podemos citar as bases não iônicas que possibilitam sua utilização em uma ampla gama de formulações de cremes, em virtude de sua compatibilidade com a maioria dos princípios ativos, e que também fornecem alta viscosidade e aplicação em ampla faixa de pH. Outros exemplos: bases emulsionadas peg-free,bases de preparo instantâneo,bases emulsionadas spray, bases emulsionadas oil-free etc.

Litocosméticos - A utilização de pedras preciosas ou semipreciosas em formulações cosméticas baseia-se no conceito de terapia dos cristais e fluxo de energia.Os produtos cosméticos são formulados com o pó das pedras associado a outros ativos. Por exemplo:
  • Ametista: aplicações em tratamentos regenerantes, revitalizantes.
  • Água Marinha: aplicações para ativação da circulação periférica, diminuição de olheiras, tratamento da celulite.
  • Citrino: responsável pelo equilíbrio e redução de medidas
  • Esmeralda: com ação equilibrante, purificante, anti-séptica, energizante e regeneradora, tratamento antiacne e capilar.
  • Turmalina branca ou rosa: com ação nutritiva, fortalece a pele contra irritações.
  • Safira: promove hidratação e elasticidade à pele.
Nanopartículas cosméticas - São produtos baseados na Nanotecnologia que operam com subpartículas de milimétricas dimensões e que, devido à sua grande capacidade de armazenar e fixar em seus interiores ativos cosméticos diversos, conseguem atingir as camadas mais profundas da pele, maximizando os resultados dos produtos cosméticos. Assim, consegue-se elaborar um cosmético muito mais potente, de progressiva liberação dos ativos e de rápido resultado. Os recursos das nanopartículas cosméticas estão disponíveis para alguns ativos, tais como: vitaminas A (renovador tecidual), C (antioxidante) e E (anti-radicais livres) e o ácido salicílico (peeling).
Paralelos a estes estão os sistemas de entrega, condutores ou delivery system, como os lipossomas e peptídeos botânicos.

Ativos da cana-de-açúcar - Os derivados do açúcar possuem propriedades cicatrizantes,anticongelantes e crioterápicas e são considerados conservantes naturais. Entre os insumos provenientes da cana-de-açúcar, podemos citar os sais sódicos e de zinco do PCA (ácido prirrolidona carboxílico), a glicoproteína, os hidrogeis de sacaros e o ácido glutâmico. Este último é empregado como agente neutralizante ou controlador de pH, age como aditivo, melhorando a hidratação e a maciez dos cabelos. Já o sal sódico do PCA caracteriza-se por oferecer alto poder umectante em formulações para pele, sendo também biodegradável e não pegajoso ao toque; apresenta efeito antiestático quando usado em formulações de xampus, proporcionando grande maciez aos cabelos. Por sua vez, a glicoproteína (mistura de açúcar + proteína com forte ação hidratante) atua sobre a redensificação dérmica, com estímulo à síntese de colágeno do tipo I e IV e elastina.

Água - Algumas empresas de cosméticos estão utilizando em suas formulações um dos elementos mais essenciais à vida: a água. É exemplo disso a Água Termal patenteada da Fonte de São Lucas, em Vichy, na França, que tem 17 sais minerais e 13 oligoelementos. Ë reconhecida por suas propriedades calmantes, antiirritantes, estimulantes das defesas naturais da pele e da tolerância cutânea. A Água de Israel, rica em polifenóis e carotenóides que têm atividades antioxidantes e nutritivas à pele, é outro exemplo.

Matérias-primas animais - Os fornecedores destas matérias-primas garantem que as mesmas são extremamente seguras, dermatologicamente compatíveis e harmonizadas com o meio ambiente. Entre elas, podemos citar o óleo de avestruz. Extraído da banha da ave, ele atua como agente de reconstituição do extrato córneo, a camada mais superficial da pele. Possui efeito suavizante e auxilia na permeação dos ativos, atuando como um antiidade. Também podemos mencionar a quitosana, ingrediente extraído da carapaça de ostras e caranguejos, que possui propriedades hidratantes.

Ativos da Biodiversidade Amazônica - As matérias primas abaixo citadas, além de suas aplicações e benefícios cosméticos, traduzem a cultura de um povo, o aproveitamento sustentável e o apelo exótico indígena.
 
Açaí Cacau Guaraná Ucuúba
Andiroba Copaíba Maracujá Urucum
Babaçu Castanha de Caju Murumuru Argila branca da Amazônia
Buriti Cupuaçu Pequi

Tendência Gourmet – Nutrapeptídeos - Como a maioria das pessoas associa alimentos e cosméticos ao bem estar, fornecedores de matérias primas estão investindo na nova tendência gourmet, os nutripeptídeos, que são peptídeos do arroz que oferecem ação nutritiva para a pele.

Conclusão - A busca de novas matérias-primas jamais terminará, pois, para manter a esperança daqueles que procuram a fonte da eterna juventude e cultivam os ideais de beleza – favorecendo o fortalecimento econômico das empresas –, sempre surgirão novas tecnologias de ponta ou um ativo natural originado dos confins do globo.

Referências bibliográficas:
- MACDONALD V;Spa treatments, Happi 37(11):110-118, 2000.
- MACDONALD V; The rising spa market, Happi 38(11):110-118, 2000.
- J COPLEY.Indestructible, New Scientist 164:44,1999
- BENJAMIN, C. (Org.). A opção brasileira. Rio de Janeiro: Contraponto, 1998.
- BUNKER, S. 1996. Matérias-primas y la economia mundial. Ecologia Política, n. 12.
- DIAMOND, J. Human use of world resources. Nature, n. 328, 1987.
- EKINS, P. Making development sustainable. In: SACHS, W. (Ed.). Global ecology. London: Zed, 1993.
- LLOSA, Sílvia. O CDM e florestas: polêmica e oportunidade. Projeto Brasil Sustentável e Democrático. Fase, 2000. Mimeo.
- Especificações Técnicas, Botanigenics, Inc., 2001.
- Application Bulletin, Southerm Clay Products, Inc., 2002.
- Catálogo de Produtos Ion Tecnologias & Serviços.

Websites:

www.beraca.com.br
www.ionquimica.com
www.chemyunion.com.br

www.croda.com.br
www.cognis.com.br
www.sarfam.com.br
www.daltomare.com.br 
www.purifarma.com.br
www.tecnopress-editora.com.br
www.cosmeticsonline.com.br
www.sbd.org.br
www.abc-cosmetologia.org.br
www.bibvirt.futuro.usp.br
www.ambientebrasil.com.br  

A autora

Engenheira química com 15 anos de experiência, possui passagens por empresas cosméticas e farmacêuticas. Presidiu a Associação Brasileira de Cosmetologia entre 1993 e 1995. Atualmente é consultora da Montesano Negócios e Projetos Químicos. Informações adicionais sobre este assunto podem ser solicitadas pelo e-mail lindaoliva@terra.com.br




Relação de Matérias                                                                 Edições Anteriores

 

Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região