Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Certidões
Comissões Técnicas
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Formulários
Game
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Noticiário
Perfil
Planos de Saúde
Prêmios
Publicações
QuímicaViva
Regimento Interno
Selo de Qualidade
Sorteios
Transparência Pública
Siga-nos no Twitter   Conheça nosso Facebook   Nosso canal YouTube   Siga-nos no Instagram
 



Matéria Anterior   Próxima Matéria

Educação - Morre o professor Victor Nehmi


Reconhecido internacionalmente, seus livros didáticos venderam milhões de exemplares

                                                                                                  Álbum de família

O Engenheiro Químico Victor Abou Nehmi, que lecionou na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e ocupou cargo diretivo nas Faculdades Oswaldo Cruz, faleceu em São Paulo em decorrência de um infarto no dia 2 de agosto, aos 88 anos.

Segundo informou sua filha Sabina Nehmi de Oliveira, que é Licenciada em Química, o professor já havia sofrido outro infarto há cerca de um ano e meio. Apesar dos problemas de coração e da idade avançada, Nehmi era um homem lúcido e ativo, que tinha por hábito fazer caminhadas pelo bairro do Paraíso, na capital paulista, onde morava.

Nehmi nasceu no Líbano, em 9 de novembro de 1925. No ano seguinte, a família imigrou para os EUA, onde sua mãe, Agia, faleceu durante o parto do segundo filho. Em 1930, para fugir da crise econômica iniciada com a quebrada Bolsa de Nova Iorque, os Nehmi vieram para o Brasil, instalando-se na cidade paulista de Pitangueiras, onde tinham familiares.

Apesar das dificuldades que enfrentou durante a infância e juventude – tendo até que vender rapadura e selos para poder estudar – Victor Nehmi conseguiu, em 1952, a graduação em Engenharia Química pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

A partir de 1962, passou a atuar como professor e pesquisador da Poli-USP. Sua carreira no magistério, porém, começou anos antes, com aulas particulares e em colégios paulistanos.

O gosto pelo ensino o motivou a produzir diversos livros didáticos que, de tão bem aceitos, chegaram a vender mais de 2 milhões de exemplares. Problemas de Química Orgânica (Ed. Independente, 1961), Química Geral (Ed. Nobel, 1962) e Química Orgânica (Ed. Ática, 1964) estão entre suas obras mais populares.

No final da década de 1960, foi presidente da Associação Brasileira de Química – Regional São Paulo (ABQ-SP).

Defensor do uso da energia nuclear para fins pacíficos, tornou-se especialista em Carbono 14 para datação de fósseis (de até 50 mil anos) na Universidade Yale (EUA), tendo sido o responsável pela montagem, no início dos anos 1970, do laboratório da USP dedicado ao estudo desse isótopo radioativo.

Na condição de único especialista latino-americano na época, participou de congressos internacionais sobre Carbono 14 em diversos países. Em 1979, apresentou tese sobre o tema na Universidade de Heidelberg (Alemanha), uma das mais antigas do mundo.

Por sua carreira dedicada ao ensino de Química, obteve reconhecimentos de instituições internacionais. Em 2005, o International Biographical Centre de Cambridge (Inglaterra) concedeu-lhe o título de “Educador Internacional”. No ano seguinte, recebeu a Medalha de Ouro do American Biographical Institute. Em 2009, essa mesma entidade o intitulou como um dos 500 líderes mundiais nas áreas de Ciências e Humanidades.

A partir de 1978, Victor Nehmi passou a lecionar na Escola Superior de Química das Faculdades Oswaldo Cruz, em São Paulo. “Foi com grande pesar que a comunidade acadêmica recebeu a notícia do falecimento”, comentou o professor Nelson Bonetto, Conselheiro Titular do CRQ-IV e que trabalhou com Nehmi na instituição. Ele relatou que, em 1987, Nehmi assumiu o cargo de vice-diretor da instituição e que, em 1999, “foi guindado ao cargo de diretor, substituindo-me por eu ter assumido a Coordenação do Curso de Engenharia Ambiental”. Bonetto avaliou que a atuação de Nehmi como diretor da instituição “primou pela sua competência no trato das questões acadêmicas e pelo respeito que dedicava aos professores e estudantes”.

Nehmi se aposentou em 2007, “mas só parou porque estava com muitas dificuldades para enxergar”, ressaltou a filha, Sabina de Oliveira.

A aposentadoria, porém, não acalmou sua necessidade de produzir. Em 2011, Nehmi lançou seu último livro, a autobiografia chamada Como surge um sucesso. Divulgado na época pelo Informativo CRQ-IV – disponível para consulta na Biblioteca do Conselho – o livro conta de forma objetiva a trajetória da vida de um profissional que alcançou as metas que ele mesmo se impôs.





Relação de Matérias                                                                 Edições Anteriores

 

Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região