Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Certidões
Comissões Técnicas
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Formulários
Game
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Noticiário
Perfil
Planos de Saúde
Prêmios
Publicações
QuímicaViva
Regimento Interno
Selo de Qualidade
Sorteios
Transparência Pública
Siga-nos no Twitter   Conheça nosso Facebook   Nosso canal YouTube
 
Notícia - Conselho Regional de Química - IV Região

Notícia 

 


Fontes de energia em destaque no III Fórum de Ensino Técnico


Mesa-redonda com palestrantes do segundo bloco foi mediada por Célia Alem de Oliveira, da Comissão de Ensino Técnico


A realidade atual e as tendências para a geração de energia foram os destaques da terceira edição do Fórum de Ensino Técnico da Área Química, realizado na sexta-feira (18) no auditório do CRQ-IV. Organizado pela Comissão de Ensino Técnico da entidade, o evento teve o apoio do Sindicato dos Químicos, Químicos Industriais e Engenheiros Químicos do Estado de São Paulo (Sinquisp). Profissionais das áreas da Química e da Educação, além de estudantes, formaram o público de aproximadamente 80 pessoas.

Bresciani trabalhou por 30 anos na Petrobras
A Engenheira Química Andrea de Batista Mariano, coordenadora das Comissões Técnicas do Conselho, apresentou na abertura diversas iniciativas da entidade em prol do ensino de Química, com destaque para o Programa Selo de Qualidade, que já possui em sua galeria treze cursos de Nível Médio ministrados por dez instituições paulistas.

"Fontes de energia" foi o tema do primeiro bloco do evento, realizado no período da manhã. O primeiro palestrante foi o Engenheiro Químico Antonio Ésio Bresciani, integrante da Comissão de Meio Ambiente do CRQ-IV. Com experiência de 30 anos de trabalho na Petrobras, Bresciani falou sobre a matriz energética do petróleo, apresentando as formas de extração e refino para a produção de derivados como a gasolina, cujo consumo tende a aumentar com o aumento populacional e o crescimento da frota de veículos em circulação. 

Nesse cenário, salientou que, atualmente, o principal desafio é obter uma eficiência energética maior em motores de combustão interna. Além disso, discutiu os impactos ambientais dos chamados "combustíveis fósseis", mostrando um comparativo entre os mais poluentes, liderado pelo carvão mineral, que chega a emitir quase quatro vezes mais gás carbônico na atmosfera do que o gás natural, por exemplo.  

Perrotta falou sobre a energia nuclear 
O Engenheiro Nuclear José Augusto Perrotta, integrante da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), fez a segunda palestra, na qual tratou de conceitos básicos da energia nuclear, além de aplicações na medicina, reatores, produção de combustível e o Programa Nuclear Brasileiro.  

O bloco teve ainda a apresentação do Bacharel e Licenciado em Química Julio Cesar Martins da Silva, do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), que detalhou pesquisas feitas no instituto para a produção de células a combustível a partir do hidrogênio e suas potenciais aplicações. Uma das principais vantagens apontadas pelo pesquisador é a maior densidade de energia que pode ser gerada por essas células em relação a baterias convencionais.

Segundo bloco - "Energias renováveis" foi o tema da segunda parte do Fórum. A primeira palestra, que teve como assunto a conversão de biomassa, foi ministrada pelo Engenheiro Florestal Javier Farago Escobar, que trabalha como pesquisador no Centro Nacional de Referência em Biomassa (Cenbio), localizado no Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP. "O Brasil possui uma produção em larga escala de biomassa, que já representa 26,4% da oferta interna de energia primária utilizada no País", salientou. Nessa conta, foram somadas as contribuições da cana-de-açúcar (etanol e bagaço de cana, que totalizam 15,7%), da madeira e seus derivados (carvão vegetal e lixívia, com 9,9%) e de outros materiais (0,8%).

Escobar também apresentou duas categorias de biomassa: a "tradicional", gerada a partir de combustão direta (tida como "ineficiente") de madeira, lenha, carvão vegetal, resíduos agrícolas, entre outros; e a "moderna", obtida a partir de técnicas aperfeiçoadas de combustão direta em equipamentos como turbinas e motores.

Isaura elogiou o foco dado a questões práticas
A última palestra do Fórum foi conduzida pelo Técnico em Química Lutero Lima Junior, que trabalha no Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE) de Indaiatuba e coordena o projeto "Novo Biodiesel Urbano", mantido pela prefeitura da cidade do interior paulista. O profissional apresentou resultados obtidos com a iniciativa, que coleta e reaproveita óleo descartado para a fabricação de biodiesel, viabilizando a utilização deste para abastecimento da frota de veículos mantida pela administração municipal.

Em ambos os blocos, foram promovidas mesas-redondas com os palestrantes, abertas a perguntas do público.

Prática - A Técnica em Química Isaura Marcolin trabalha como Técnica de Laboratório no Centro Universitário Anhanguera, em Santo André. Para ela, o Fórum teve palestras que mostraram aplicações práticas do que se aprende em cursos a respeito da geração de energia. "O evento não só trouxe novos conhecimentos, como também teve apresentações que priorizaram o aspecto prático, o que foi muito bom", elogiou.        

Clique aqui para acessar a galeria de fotos na página do CRQ-IV no Facebook.

Clique aqui para baixar as apresentações dos palestrantes.








Publicado em 18/11/2016
Atualizado em 22/11/2016
Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região