Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Certidões
Comissões Técnicas
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Formulários
Game
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Noticiário
Perfil
Planos de Saúde
Prêmios
Publicações
QuímicaViva
Regimento Interno
Selo de Qualidade
Sorteios
Transparência Pública
Siga-nos no Twitter   Conheça nosso Facebook   Nosso canal YouTube
 



Matéria Anterior   Próxima Matéria

Simpósio no CRQ-IV discutiu uso racional e inovações tecnológicas


Para comemorar o Dia Mundial da Água, o CRQ-IV promoveu, no dia 22 de março, o 1º Simpósio de Inovação Tecnológica, Tratamento e Uso Responsável da Água. Realizado no auditório da entidade, em São Paulo, o evento reuniu especialistas dos setores público e privado. Perto de 70 profissionais assistiram aos debates. Dividido em painéis, o encontro teve o apoio do Sindicato dos Químicos, Químicos Industriais e Engenheiros Químicos de São Paulo e integrou as ações pelo Ano Internacional da Química.
 
O primeiro painel, Soluções para recuperação de mananciais, teve a participação de Marcelo Morgado, engenheiro químico e assessor de meio ambiente da Sabesp, da desembargadora Consuelo Yoshida, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, e de Amauri Pollachi, chefe de equipe de gerenciamento de proteção aos mananciais da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo. Morgado mostrou dados sobre a área de atuação da Sabesp e lembrou que o estado de São Paulo tem os melhores índices de tratamento de esgotos do País. Mesmo assim, disse, “é preciso trabalhar muito para recuperar o grande déficit gerado por décadas de passivo ambiental”. Também alertou que metade dos rios de todo o planeta está com a qualidade da água comprometida pela poluição. Consuelo Yoshida advertiu que o desequilíbrio ambiental pode comprometer a qualidade de vida das presentes e das futuras gerações. Já Amauri Pollachi falou da importância da preservação e recuperação dos mananciais responsáveis pelo fornecimento de água para a população de São Paulo.
 
O segundo painel, Revisão do padrão de potabilidade da água, esteve a cargo de Alexandre Pessoa da Silva, da Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Ambiental do Ministério da Saúde. Ele falou sobre a revisão da Portaria nº 518, de 2004, que trata do padrão de potabilidade da água para o consumo humano, e como os profissionais envolvidos no trabalho definirão novos tipos de contaminantes, subdivididos, por exemplo, entre substâncias carcinogênicas ou genotóxicas, entre outros parâmetros que definem a qualidade da água.
 
O tema Cobrança pelo uso da água foi abordado no terceiro painel, ministrado pelo engenheiro José Marcílio Fonseca, diretor da Área de Sistema de Informações da Diretoria de Procedimentos de Outorga do Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (Daee), pela engenheira Karla Yanssen e a tecnóloga Caroline Bacchin, do Consórcio PCJ, entidade composta por municípios e empresas e que trabalha pela recuperação das bacias hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Foram abordados aspectos da legislação que determina a cobrança e comentados os métodos sobre a fiscalização, que nessa área é atribuição do DAEE.
 
Com o tema Tecnologias avançadas, o engenheiro Fernando Gomes, representante da Sabesp no Projeto Aquapolo Ambiental, e a engenheira Amanda Cavalhero ministraram uma palestra sobre água de reúso. O projeto Aquapolo prevê o fornecimento de água de reúso, ou água industrial, para o polo petroquímico de Capuava, no ABC. “O projeto leva em conta a escassez de água potável na região e os custos crescentes para obtenção de água de boa qualidade”, salientou Gomes.
 
A palestra seguinte foi comandada por João Marcelo Gomes Pinto, diretor técnico da Sustentech Desenvolvimento Sustentável. Ele falou sobre o tratamento, reúso e economia de água em grandes empreendimentos comerciais e os benefícios de empreendimentos sustentáveis. O simpósio foi encerrado com uma palestra sobre membranas de microfiltração, nanofiltração e osmose reversa, com uma visão técnica e da situação do mercado brasileiro, pelo engenheiro Eduardo Pacheco, diretor técnico da empresa Portal Tratamento de Água.
 

>

Funcionário da Bayer, Alex Sandro da Silva, de 23 anos, Técnico em Meio Ambiente, e Isa Wilsing Baldow, de 27 anos, Engenheira Ambiental, disseram que o Simpósio foi uma ótima ferramenta para divulgar o que a Sabesp e o Departamento de Água e Energia Elétrica estão fazendo pela água: “O encontro tratou justamente sobre questões ambientais importantes”, disse Alex (veja vídeo). Baldow salientou que obteve muitas informações úteis para o dia a dia. Já a Técnica de Sistemas de Saneamento Cintia Gonçalves dos Santos, de 28 anos, disse que participar do evento foi gratificante, ainda mais por fazer parte das ações que o Conselho vem promovendo para celebrar o Ano Internacional da Química. Os três salientaram que o tema água de reúso é um dos mais relevantes quando se pensa em preservação dos recursos ambientais.

 

 

 


Clique aqui para ler o que já foi publicado sobre o AIQ.




Relação de Matérias                                                                 Edições Anteriores

 

Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região