Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Certidões
Comissões Técnicas
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Formulários
Game
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Noticiário
Perfil
Planos de Saúde
Prêmios
Publicações
QuímicaViva
Regimento Interno
Selo de Qualidade
Sorteios
Transparência Pública
Siga-nos no Twitter   Conheça nosso Facebook   Nosso canal YouTube
 



Matéria Anterior   Próxima Matéria

Cotel e Mario Amato recebem o Selo de Qualidade


Plenário do CRQ-IV concede as três primeiras certificações


A Escola Senai Mario Amato, de São Bernardo do Campo, e o Colégio Técnico de Lorena (Cotel), do interior de São Paulo, são as duas primeiras instituições de ensino a terem seus cursos agraciados com o Selo de Qualidade CRQ-IV. Lançado em 2007, o programa de certificação se propõe a estimular a busca pela excelência educacional pelas escolas que oferecem cursos técnicos na área química.
 
O Senai teve certificados os cursos Técnico em Química e Técnico em Plástico; o Cotel, o curso Técnico em Química. A entrega será dia 17 de junho, na cerimônia em Comemoração ao Dia do Profissional da Química. Nas entrevistas abaixo, dirigentes das instituições falam sobre a experiência de terem participado do programa e as perspectivas que a conquista do Selo abre para as escolas.
 
Francisco José Moreira Chaves, Coordenador do curso técnico do Cotel

Informativo - Que fatores motivaram o Cotel a candidatar seu curso ao Selo de Qualidade?
Chaves - Um dos fatores que nos motivou foi a real oportunidade de realizarmos um diagnóstico completo sobre o curso que oferecemos. Outro fator foi a premissa de efetivarmos o engajamento dos alunos no projeto, nivelando-os em sala de aula, e permitindo que atuassem efetivamente na aplicação do check list que eles mesmos elaboraram. Essa participação foi tão forte que passou a fazer parte do Plano de Curso da matéria Projetos e Meio Ambiente.

Informativo - A escola enfrentou dificuldades para atender as exigências previstas no programa de certificação?
Chaves - As principais dificuldades para adequação foram: 1) Coordenação Técnica do Curso, exigida pelo programa: até então não havia esta função formal na estrutura e organograma; 2) Segurança em laboratórios: alguns aspectos foram revistos e mereceram investimentos complementares.

Informativo - Em que medida o programa mostrou a necessidade de mudanças em procedimentos que pareciam consagrados?
Chaves - Os procedimentos, que para nós são considerados como um quesito importante, foram revistos e descobrimos que, em alguns casos, estavam defasados, isto é, já existiam alterações ou modernizações implementadas e não documentadas, como exige o programa.

Informativo - O Selo de Qualidade será usado como uma ferramenta de marketing?
Chaves - O Selo da Qualidade será, sim, usado como uma ferramenta de marketing pelo Cotel, mas, sobretudo, como ferramenta de gestão interna, que, a meu ver, é a principal contribuição do programa idealizado pelo CRQ-IV. Pretendemos manter um programa de autoavaliação com frequência anual e que possa ser conduzido com o envolvimento direto dos alunos.

Informativo - A conquista do Selo favorecerá o aumento de demanda de alunos pelo curso?
Chaves - Normalmente, nosso “Vestibulinho” tem uma competição equivalente a 10 candidatos por vaga. Com a conquista do Selo de Qualidade, essa relação deverá chegar a 15 candidatos por vaga.

Informativo - O Selo poderá elevar o grau de empregabilidade de seus alunos?
Chaves - Sem dúvida, será um forte incremento nesse sentido. Um indicativo disso é que, em apenas quatro dias após divulgarmos a obtenção do Selo, recebemos inúmeros telefonemas e e-mails com cumprimentos de empresas da região.

Informativo - Um dos objetivos do programa é estimular a competição entre as escolas com base na qualidade dos cursos. O senhor acredita que essa filosofia tem chances de prosperar ou ainda teremos de conviver muito tempo com campanhas para atrair novos alunos que tomam por base pontos como o valor da mensalidade e a rápida obtenção do diploma?
Chaves - Creio que há necessidade de maior divulgação dos benefícios da adesão por parte das escolas. A partir desta fase, então poderemos considerar a chance de uma saudável competição entre os diversos cursos existentes no estado de São Paulo e depois no Brasil. O conceito da busca pela melhoria contínua leva a instituição que conquista o Selo da Qualidade a um estágio diferenciado de constante superação e aprendizado.
 
Silvia Helena Carabolante, Diretora do Senai Mario Amato

Informativo - Que fatores motivaram o Senai a candidatar seus cursos ao Selo de Qualidade?
Silvia - A principal contribuição de um sistema de qualidade é a melhoria constante. A instituição do Selo de Qualidade pelo CRQ-IV para avaliar o processo de ensino destacou aspectos que interferem diretamente nele. Ao se autoavaliar, a instituição de ensino tem a oportunidade de identificar seus pontos fortes e aqueles que precisam ser melhorados. Cria-se um fluxo de melhoria constante, beneficiando a formação do aluno, contribuindo diretamente com o cidadão, com o setor e seu segmento e com a sociedade em geral.

Informativo – O Senai enfrentou dificuldades em atender as exigências previstas no programa de certificação?
Silvia - Como o Senai tem implantado o sistema ISO 9001, está implantando a ISO 14.001 e se submete às auditoria feitas pelo Ministério da Educação para os cursos de tecnologia, as exigências previstas no programa Selo de Qualidade puderam ser atendidas sem muita dificuldade. No ritmo atual de trabalho e exigência por resultados, a dificuldade ficou em ter disponibilidade de pessoas para juntar as evidências requeridas.

Informativo - Em que medida o programa mostrou a necessidade de mudança em procedimentos que pareciam consagrados?
Silvia - A necessidade de juntar dados no processo contribuiu para estabelecermos processo de planejamento que permita resgatar dados de maneira ágil.

Informativo - O Selo de Qualidade será usado como uma ferramenta de marketing?
Silvia - Hoje, o Senai Mario Amato já faz referência ao CRQ-IV em sua divulgação junto a candidatos, aos alunos e às empresas. Informamos que o Conselho contribui com a definição do perfil de conclusão, com as reuniões técnicas. Ressaltamos, também, que o Senai participa de concursos, saindo premiado algumas vezes. Assim que tivermos o resultado final da auditoria e a nota obtida, pretendemos destacar a obtenção do Selo em nosso site e por meio de folhetos impressos.

Informativo - A conquista do Selo de Qualidade poderá elevar a procura pelos cursos do Senai?
Silvia - Não temos neste momento como dimensionar o impacto do Selo. O aumento de demanda, se houver, poderá ser absorvido de maneira gradativa. A unidade ampliou turmas na área de plástico e procura otimizar a estrutura para atender a comunidade e a indústria.

Informativo - O Selo poderá elevar o grau de empregabilidade de seus alunos?
Silvia - O Senai Mario Amato já se apoia no CRQ-IV para incentivar o aluno a cumprir suas obrigações para conclusão do curso para depois se registrar no Conselho. O Selo vai somar nesse sentido.

Informativo - Um dos objetivos do programa é estimular a competição entre as escolas com base na qualidade dos cursos. A senhora acredita que essa filosofia tem chances de prosperar ou ainda teremos de conviver muito tempo com campanhas para atrair novos alunos que tomam por base pontos como o valor da mensalidade e a rápida obtenção do diploma?
Silvia - O Selo contribuirá para fortalecer a imagem das escolas que fazem um trabalho sério. Os cursos técnicos são gratuitos no Senai, portanto não sentimos impacto de mensalidade nessa modalidade de formação. Entretanto, caso haja valorização da qualidade de ensino por parte dos empregadores, da sociedade e do poder público, o Selo terá parte de influência.


Clique aqui  para ter acesso aos procedimentos necessários à obtenção do Selo.




Relação de Matérias                                                                 Edições Anteriores

 

Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região